Este blog contém pus!

Belo par

(continuação) 

“Nem sempre, a tradução literal consegue capturar o real significado das palavras”

 

Forgetting Sarah Marshall
Forgetting Sarah Marshall Um belo par de patins

 

Há pouco tempo senti que tinha que aprender inglês. Ou melhor, re-aprender. Já que nem um simples título de cinema conseguia traduzir para português! Afinal percebia substancialmente menos que pensava. E pensar mais do que se percebe é muito mau. Dá urticária e um cansaço desnecessário. Resolvi desde então só pensar tanto quanto percebia. Pouco, ou muito pouco, mas pelo menos fazendo-o em inglês para ir melhorando. E dei por mim nas tardes de domingo a passear de fato-de-treino no shopping center a tentar traduzir tudo o que me aparecesse à frente e mais-que-tudo a aprender com as traduções de títulos dos filmes feitos por mestres na arte da tradução anglo-lusa!

E pareceu-me que foi de um momento para o outro, uns 15 ou 16 fins-de-semana depois de me ter começado a aplicar que tudo começou novamente a fazer mais sentido. Mais Sentido! Entrava em discotecas e lia “2 Discs”. Dois Discos. “Internacional”, internacional. “Indie”, índio. Entrava em lojas de roupa, hamburgarias, papelarias, “Record”, recorde, “Reader’s Digest”, a digestão do leitor. “Pull & Bear“. Puxa e urso. “Hamburguer Special”. Hamburguesa normal mas com ovo estrelado. Tabacarias, lojas de electrodomésticos, sapatarias, “Nicotine”, Fumar Mata, “Diskman”, diskman, “Micro-Wave Oven”, forno micro-ondas. “Timberland”, de onde abatem a madeira que transportam pelo “Timberlake”, campo de golf.

Até no supermercado! Lembro-me como se fosse ontem. Estava já eu na caixa de pagamento, a passar a grade de minis, a água (faz toda a diferença) e os pacote de amendoins e  de TexMex, quando me lembrei que me tinha esquecido de melões para acompanhar o presunto de Chaves. Lembro-me de ter pedido à menina da caixa, que prontamente no alto da sua voz rouca e radiofónica pegou no microfone:

«Patinadora… Patinadora chamada á frutaria! Seguindo com 2 melões para a caixa nº 37, sem passar pela peixaria, pelo corredor dos iogurtes e derivados do leite, enlatados e luzes de marcha-atrás!»

Quando aparece a dita cuja, formou-se um momento verdadeiro zen. Já pensava, falava e sonhava em inglês. «Mas que bela patinadora… com um Forgetting Sarah Marshall e um patinar suave, um Forgetting Sarah de curvas a contornar a promoção de atacadores para sapatos, um Forgetting Sarah de curvas a delinear o uniforme de polo justo e calção de licra… uma bela patinadora com um Forgetting Sarah de melões e a acompanhar um lindo Forgetting Sarah Marshall in-line amarelo torrado de Downhill Slalom.»

Ahhhhhhhhhh… Lembro-me como se fosse agora!

 

E agora que me lembro disso… até que era um deslumbrante Forgetting Sarah Rollerblade’s dourados de hoquei patinado!!!!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s