Este blog contém pus!

Posts tagged “presidente

Presidência I

Fazer exercício faz bem à saúde. Quem o diz sou eu!

Agora podem dizer que muitas outras pessoas já o disseram mas nenhuma delas o disse ou escreveu aqui. Tudo isto para dizer o quê? Nada… Eu até só queria falar de pára-choques traseiros. Ou de iogurtes com pedaços de morango. Entre esses assuntos tanto me faz, devo dizer no entanto que já que comecei a falar sobre exercício, agora vou continuar.

Exercício faz bem à saúde.

 

Aliás, deve ser por isso que agora até os presidentes e primeiros-ministros o fazem. Os pássaros fazem-no. As abelhas fazem-no. Longe vão os tempos em que se viam aqueles soberanos gordos, em que só um quadro 16-9 os conseguia pincelar na sua totalidade. O que mais se ouve agora é:

– O presidente em exercício… [acção] em [local] [data (facultativo)].

Ou seja, os soberanos da actualidade não se limitam a caçar veados (ou serão corças?)… Os soberanos também praticam muito exercício. O que até poderia ser algo bom, manterem-se saudáveis e tal, mas que na minha perspectiva acarreta um senão:

Senão.

Estando os soberanos sempre em exercício e em excelente forma física não os arreda de outras funções, tais como:

A governativa?

Anúncios

Previsão furada

Tal como tinha previsto anteriormente, a vitória das presidenciais americanas ia sorrir a McCain. Ia, mas não sorriu, o que o deixou a ele e a mim bastante espantados. Talvez um pouco mais a ele.

Como explicar esta imensa surpresa? Não sei bem. É um facto contudo, que os eleitores americanos são bantante voláteis e além de libertarem grandes massas de energia também mudam rapidamente de opinião. E foi precisamente isto que se passou. Aliás, vou contar como tudo se passou:

«Eles eram 3! O mais audaz pegou na espada e ZÁSSSSSS!!!»

Horas antes do fecho das urnas, McCain foi infeliz e acusando uma antiga alergia a eleições, espirrou! … e uma franja do seu eleitorado passou para Obama.

O resultado é o que vocês conhecem!

«Pensas que o matou? Não matou!»
«Eu vou contar como tudo se passou:»

«Eles eram 3! O mais audaz…»