Este blog contém pus!

Ai o Verão…

Por vezes só com algum distanciamento temporal é que conseguimos ver as coisas com clareza, e, passado que está o Verão esta é a altura certa para parar e pensar no que nele se passou. Embora o Verão seja a estação mais pequena, e que dura na maior parte das vezes apenas duas ou três semanas para grande parte dos portugueses, para mim, esta estação espelha bastante o estado da nossa sociedade no resto do ano.

Muitos dirão que a simetria mais visível é que o país está de tanga e isso se reflectiu bastante no Verão. Contudo eu diria pelo que vi, que o país não só está de tanga, como de calções, de bikini e… quem diria… até de sunga. É verdade, parece que algumas pessoas deram a tanga e vestiram uma sunga só para o Verão. 

No entanto o que mais me interessa, não é o estado actual de sunga mas sim quando poderemos ver-nos de smoking nas praias portuguesas. E embora acho que essa realidade esteja um pouco distante não será mal de todo acreditarmos nela por muito calor que seja estar num fato e com os pezinhos de molho à beira-mar.

Agora, para não serem apanhados desprevenidos vou tentar dar-vos a imagem que irão ver nas praias portuguesas quando o país largar a tanga e a sunga. Basicamente quando deixarem de ver cães a puxar a trela que está presa ao chapéu de sol, homens de meia idade a passarem o seu tempo com um baralho de cartas a jogar sueca e crianças com pranchas de bodyboard com um tubarão ou o Homem-Aranha que só servem para baterem no maior número de pessoas que os distancia entre a toalha de praia deles e a onda de meio metro que vão apanhar por duas vezes e desistir… então vamos estar perto de uma melhoria.

E quando virmos que nas nossas praias pessoas a passear de cavalo à beira-mar, a jogar golfe nas dunas… perdão, bunkers… e navegar nas pequenas ondas nem que seja com um pequeno barco classe 470 vamos saber que já estamos bem vestidos e que o nosso país está a andar para frente.

Até lá, vamos continuar de tanga e pensar que pelo menos no Verão o que sabe bem mesmo é andar com pouca roupa.

E para ser sincero, eu (à esq.) até não desgosto andar de sunga. 

Anúncios

4 responses

  1. IV

    “Da minha casa à tua são dois passos de distância… cuidado não escorregues nessa casca de melância”
    (Ver distancia)

    2010, Setembro 27, Segunda-feira às 3:03

  2. Com imensa pena minha existem leitores que só aparecem em tempo de crise ou para apontar os erros e defeitos de um ávido escritor que se preocupa mais com o conteúdo do que com a forma.

    Dito isto, qual é a crise mesmo?

    2010, Setembro 27, Segunda-feira às 19:29

  3. IV

    Crise??? não há nenhuma…
    criticas a erros ou defeitos? nunca me atreveria… apenas pequenos alertas para o que dito escritor mantenha para além do conteúdo, a forma mais que perfeita! “…que os distância entre”

    ;)

    2010, Setembro 27, Segunda-feira às 21:20

  4. Crise evitada.

    Solução preventiva para guerras futuras: comprar mais mísseis balísticos terra-ar-água.

    E virá-los a favor do vento.

    2010, Outubro 1, Sexta-feira às 0:19

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s